Balbúdia.png

A educação é um dos pilares da sociedade desde a Antiguidade. Nações que atingiram grande desenvolvimento tecnológico, econômico e social sempre priorizaram o desenvolvimento educacional, com investimentos financeiros constantes desde o ensino de base até o superior. Mas, mais do que investimentos financeiros, é preciso respeitar a autonomia das universidades e centros de pesquisa.

O Brasil vem passando por um processo articulado e direcionado para causar a desvalorização do livre pensamento por meio de constantes ataques a “símbolos” que representam uma espécie de “ameaça” ao atual governo. Para além dos cortes orçamentários, os ataques vão desde a desmoralização de figuras pessoais, como o educador Paulo Freire (referência internacional na área pedagógica), até figuras mais abstratas, como a universidade pública, taxada como “local de balbúrdia” e de “doutrinação ideológica”.

Ataques às universidades públicas, por meio de cortes e de CPIs, têm como principal motivação não o contingenciamento de gastos, como justificado, mas o desmonte dessas instituições que são símbolos do livre pensamento, algo que é visto como ameaça por determinados agentes chave do governo. E tais ataques são uma ameaça que põe em risco a ciência, a pesquisa, e o saber como um todo no Brasil.

  • Facebook
  • Instagram

Pelo panorama apresentado, este filme se faz necessário para trazer ao debate e ao conhecimento da sociedade o que de fato é realizado na universidade e os riscos que esses ataques estão trazendo não só à comunidade científica e universitária, mas a toda sociedade brasileira. Por meio dele, espera-se contribuir para a conscientização da importância das universidades públicas, centros de pesquisa, e por que devem ser defendidos.

Como estamos fazendo

Esses são os locais no Brasil onde já gravamos ou ainda vamos gravar as cenas para o filme.

 

1- USP, UNESP e UNICAMP, uma vez que enfrentaram uma CPI na ALESP, cuja motivação se mostrou obscura e estão lutando contra projetos estaduais que visam diminuir os investimentos nas universidades;

 

2, 4 e 5 - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Universidade Federal do Cariri e Universidade Federal do Sul da Bahia, por serem as universidades que tiveram proporcionalmente a maior porcentagem de verbas contingenciadas;

 

3, 5 e 6- UNB, UFBA e UFF, por serem as três que, a princípio, sofreram perseguição ideológica, sendo definidas como “universidades que estão promovendo balbúrdia”.

Recentemente incluímos mais duas Universidades em nosso plano de viagens. A Unifesspa (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará e a UFPR (Universidade Federal do Paraná).

Dessa maneira teremos pelo menos uma instituição representante de cada região brasileira.


Além disso, estamos gravando com com políticos e intelectuais ligados à causa, al[em de entidades atuantes na questão da Educação e Ciência no Brasil.

Universidade_Federal_Fluminense_(UFF)_Ho

O que já fizemos

Acompanhe aqui como anda o progresso do nosso documentário.

Entrevistados

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

Até agora entrevistamos figuras atuantes no cenário nacional quando o assunto é Educação, Pesquisa e Ciência e, assim, continuaremos a fazer nos próximos meses. Reitores, professores, pesquisadores, jornalistas especializados, diretores de ONGS e outras instituições também ligadas a esses temas estão em nossas listas de entrevistados.

Também entrevistamos alguns estudantes, pois são os primeiros impactados com as ações do governo que estão precarizando o ensino. 

Mas para além disso, vamos entrevistar, bolsistas, mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, que são os responsáveis pela maioria das pesquisas científicas realizadas no Brasil.

E não acaba por aqui. Queremos os mais variados depoimentos, pois a universidade não é constituída apenas de professores e estudantes. Técnicos de laboratórios, seguranças, responsáveis pela limpeza e manutenção, além de muitos representantes daquilo que torna a Universidade pública um espaço indispensável para a sociedade.

COVID - 19

Em decorrência da pandemia da Covid-19, as gravações foram paralisadas. Como os ambientes de gravação são potenciais locais de contágio, estamos seguindo todas as orientações de segurança e prevenção das entidades sanitárias. As gravações serão retomaras assim que for seguro para equipe e entrevistados. 

Onde estivemos

Vestibular-inicio.png
AV01B.jpg
ufms_logo_negativo_rgb.png
as_vert_cor.jpg
Assinatura Principal.png
brasao_ufba.jpg
Ufsb_logo.jpg
uff-logo-5.png
logo-site-2.png

Quem Somos

Logo_producoes_WEB_GIF.gif

A Pau a Pique Produções, que produz o documentário, sabe a importância da Universidade Pública, pois é empresa filha de uma delas, a UNICAMP. Nasceu em 2017 dentro do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo, o LABJOR/Unicamp.

Nasceu por acreditar que Comunicação, Cultura, Arte e Ciência precisam andar em conjunto como chaves que aceleram o progresso da sociedade, tomando ações para a democratização do conhecimento.

Andre.jpg

André Gobi é Historiador formado pela UNESP. Estudou Jornalismo Empresarial e Assessoria de Imprensa na Universidade Gama Filho. Especialista em Jornalismo Científico pela UNICAMP, universidade onde realiza seu mestrado. Tem experiência como editor, criador e gestor de conteúdo para editorias diversas, com foco em Ciência,  Tecnologia e Educação, além de ter atuado como assessor de comunicação para entidades não governamentais e inciativa privada, entre outras. No meio audiovisual, tem atuado na produção e roteiro para vídeos institucionais e documentários.

Untitled

Guilherme Rodrigues é fotógrafo e documentarista, pós-graduado em Multimeios pela Universidade Anhembi-Morumbi e também em Jornalismo Cientifico pela UNICAMP. Além disso, participou de um programa profissionalizante em fotografia documental realizado pela  Universidade de Belas Artes e Design da Bratislava, na Eslováquia.

Foi Diretor e Produtor do documentário longa-metragem  "Caiçaras- Às Margens do Brasil".

Tem dedicado sua carreira a trabalhar com temáticas sociais e culturais.

Contato

WhatsApp Image 2019-06-12 at 12.30.50.jp

Thomas Knaus é formado e Licenciado em Ciências Sociais pela USP, e pós graduado em Cinema pela Universidade Anhembi-Morumbi. Trabalha com audiovisual desde 2013, tendo produzido documentários, videoclipes e conteúdo audiovisual para a área de educação. Em sua trajetória destacam-se o trabalho em empresas de Ensino a Distância como Geekie e EduK, a edição do documentário "Caiçaras: às margens do Brasil", da Pau-a-Pique Filmes, e a colaboração na produção de conteúdo digital para a Agência Sophya.

usp-logo-png.png

Obrigado por enviar!

Marca-Horizontal-Smbolo-Tipografia-001.p
ufpr_1000.jpg